segunda-feira, 8 de maio de 2017

Bom exemplo é a melhor forma de educar



Em palestra, filósofo Mario Sergio Cortella fala sobre como construir uma convivência mais ética dentro e fora das escolas

Para uma criança viver bem, entre outras coisas, ela precisa de limites. Isso tem tudo a ver com os valores que os pais transmitem  na criação. A conduta dos filhos depende dos exemplos que elas recebem dos adultos. Principalmente para os menores, é ineficaz explicar conceitos teóricos, como ética, mas é fundamental praticar valores como convivência, respeito ao próximo, capacidade de partilhar e de falar a verdade.  
Mario Sergio Cortella é um filósofo, escritor, educador, palestrante e professor.  
 
Mesmo que não haja uma clareza tão grande sobre o que é certo e o que é errado, crianças observam e são influenciadas pelas posturas de pais e educadores. Cortella explica que ética não é uma questão de estabelecer um código sobre o que é adequado e o que não é, mas um reflexão a respeito do porquê você faz aquilo que faz. Ou seja, é necessário pensar se o que fazemos é bom para nós e para outros ou se é bom para nós e prejudica os outros. “É preciso formar pessoas na vida que entendam que ser decente não traz todas as vantagens que quem não é decente obtém imediatamente, mas que traz muitas outras que persistem no tempo, e que o indecente não conquista”, acrescenta o filósofo.

Para Cortella, os pais desta geração não estão passando para as crianças a noção do esforço e isso é prejudicial para a formação dos filhos: “se uma criança não foi formada aprendendo a valorizar a ideia de esforço, ela vai achar que as coisas acontecem como mágica, que não é preciso correr atrás de nada”. 

A importância do bom exemplo
Você provavelmente já ouviu ou até falou a seguinte frase: “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”. Porém, quando se trata de educação, na prática isso não funciona. Não adianta um pai dizer ao filho que ele não deve mentir, porque mentir é feio, e quando o telefone tocar em casa, pedir para dizer que ele não está. A criança pode ouvir que é muito ruim o desperdício, mas se ela vê os pais desperdiçando comida, ou deixando o chuveiro ligado durante muito tempo, ela  aprende o contrário pela assimilação do exemplo.
Cortella explica que uma criança pequena não tem ideia do que é justo ou injusto, mas ela imita os modos de conduta dos pais. E, sobre a importância da boa educação, acrescenta: “O mundo que vamos deixar para nossos filhos depende muito dos filhos que vamos deixar para esse mundo”. 

Papel da escola
É essencial a parceria da família com a escola, pois a primeira é apoiada pela segunda na educação dos filhos. Muita gente confunde educação com escolarização, mas a escolarização é apenas um pedaço da educação. Por isso, não há uma parte da formação que seja exclusiva dos pais sem o apoio da escola, assim como não há uma obrigação que seja somente da escola.
Cabe a escolas inteligentes formar parcerias com as famílias, e cabe às famílias procurar essa parceria nas escolas. Embora sejam instituições diferentes, a criança é a mesma. Por isso, o importante não é dividir a educação entre elas, mas sim repartir. Os professores também introduzem valores éticos na escola, por meio de exemplos e incentivos, como mostrar que não se deve pegar o que não lhe pertence, ou de não admitir que uma criança pratique o sofrimento de outra.

Trecho de entrevista publicada na revista Pais&Filhos 

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Portfolio - Luan leite



A Escola Elpídio Reis promove o conhecimento e a inclusão do aluno da educação especial com a participação e a realização   nas atividades diversificadas que despertam o interesse  e a aprendizagem de forma lúdica.

Nome do aluno: Luan Leite dos Santos
Turma: 7º ano A     Turno: matutino
Apoio Pedagógico especializado: Reginalva Pereira

Clique no link abaixo:

segunda-feira, 13 de março de 2017

Aula 3º anos - C, D e E

Quais os objetivos de aula?
- Fazer uso das grafias com palavras: RR ou r; SS; s ou z; lh
- Pontuar textos utilizando: ponto final, travessão, dois pontos e interrogação.

Como será a aula?
- Na sala de informática, cada dupla de alunos devem acessar os seguintes links e completá-los de acordo com as regras já conhecidas:

RR
http://websmed.portoalegre.rs.gov.br/escolas/obino/cruzadas1/ra_rra/ra_rra.htm

r ou rr

S ou z

lh

Pontuação


Professoras:
Juliana, Márcia e Margareth.

DICA DE LEITURA - INCLUSÃO ESCOLAR

A mãe Cristiane Rocha, parceira da escola, deixou essa dica para você :
 
Título: TEA e inclusão escolar 
Autora: Anita Brito e Nicolas Brito Sales
Páginas: 100 -Contém ilustrações 
Categoria: Inclusão escolar 
A inclusão escolar é tratada nesta obra de forma clara, objetiva e com exemplos vividos pelos autores. Excelente para quem busca resposta em um momento de mudanças positivas.



 "Incluir não significa tentar “curar” o educando ou adequá-lo a métodos já existentes e fossilizados. Incluir significa trabalhar com todos dentro de suas habilidades diferenciadas; aprimorá-las, desafiá-las... É respeitar e entender as capacidades de cada um sem esperar um modelo ideal. É aprender e ensinar que o ser humano pode e deve crescer dia-a-dia sem que seja tolhido por uma sociedade segregadora, excludente e discriminadora." - Anita Brito

Acredite na Vida

Acreditar que a nossa vida não é melhor ou pior do que a de ninguém. Nunca sentir-se maior ou menor, mas igual. Fazer o bem sem olhar à quem e não esperar nada em troca, é uma maneira de encontrar a felicidade. Procurar sorrir sempre, mesmo diante das dificuldades e não se envergonhar das lágrimas, diante da necessidade, é outra maneira de irmos ao encontro dela. Ser humilde, prestar favores sem recompensas, abrir as mãos e oferecer ajuda, é uma maneira de buscar a felicidade. Chorar e sofrer, mas lutar e procurar vencer, sem deixar o cansaço te derrotar, nem o desânimo ou o preconceito te dominar, é uma maneira de ganhar a felicidade. Aprender à defender seus ideais e a amar seus semelhantes, à conquistar seus amigos pelo que é e não pelo que queiram que seja, é mais uma maneira de abraçar a felicidade. Saber ganhar e saber perder, é uma rara conquista, mas você consegue. Tenha fé, acredite em Deus!!! Viva cada momento de sua vida como se fosse o último. Faça de sua vida uma conquista de vitórias, uma virtude e aproveite tudo o que ela te der como oportunidade. Mesmo sofrendo, sofra amando. Pois é através do amor que você encontrará as chaves para abrir as portas da felicidade... (Autor desconhecido)

sexta-feira, 10 de março de 2017

Projeto Adaptação Escolar

Lanche coletivo do Pré IC e ID. Professoras Clágia e Leocádia

sexta-feira, 3 de março de 2017

Reestruturando texto

Reestruturando texto feito pelos alunos do 4º ano A. Após as correções, todos concluindo o texto coletivo em seus cadernos. Primeira etapa vencida, vocês foram Dez!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Jogo Nunca dez

5° B - aula de matemática. Objetivos: compreender os princípios do sistema de numeração decimal; Traduzir agrupamentos em base decimal, por meio de uma representação escrita, utilizando símbolos indo arábicos (algarismos).

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Texto reflexivo: Inclusão

A história da educação é marcada pela exclusão de alunos com necessidades especiais. Não somente na educação. Mas como um todo, a humanidade em si é formada por padrões excludentes. Na educação vemos que o regimento a qual a escola foi fundamentada, há muita discriminação e relutância em aderir às mudanças. Conforme diz Romeu Sassaki em seu livro- Construindo uma sociedade para todos: a inclusão “é um processo pelo qual a sociedade se adapta para poder incluir, em seus sistemas sociais gerais, as pessoas com necessidades especiais e simultaneamente, estas se preparam para assumir seus papéis na sociedade”.
A inclusão se faz necessária, ela beneficia o sistema educacional bem como a pessoa incluída. Devemos entender que incluir é ensinar a todas as crianças no mesmo espaço, mas de diferentes maneiras. É necessário pensar na educação dos futuros professores, que em sua formação não são orientados a trabalharem com os portadores de necessidades especiais, a grande maioria prioriza a visão para o ensino regular. O processo de inclusão deve começar com a conscientização da sociedade que servirá de apoio nas escolas. Existem muitos movimentos contra inserir um aluno com necessidades especiais juntamente com outros alunos. Conforme diz o texto de Maria Teresa: “Por tudo isso, a inclusão implica uma mudança de perspectiva educacional, pois não se limita aos alunos com deficiência e aos que apresentam dificuldades de aprender, mas envolve todos os demais, para que obtenham sucesso na corrente educativa geral”. Referências bibliográficas: Livro: Construindo uma sociedade para todos – Romeu Sassaki Texto: O direito de ser diferente, sendo diferente, na escola- Maria Teresa Eglér Mantoan

VAMOS REFLETIR ...